Odontologia Interceptiva

A ortodontia interceptativa tem como objetivo interromper uma situação anormal que já existe.
Normalmente em virtude de má posição dento facial perceptível ainda na infância.
Um dos objetivos da ortodontia interceptativa permitir uma melhoria da higiene bucal, já que dentes alinhados são mais fáceis de higienizar.
Além disso, também é importante para preservação do espaço para o nascimento dos dentes permanentes, para a correção da mordida aberta, mordida profunda ou mordida cruzada.

A partir de que idade devemos nos preocupar?

De 7 a 11 anos é a melhor idade para guiar o crescimento da mandíbula adequada e melhorar os músculos da face, por essa razão é tão importante manter visitas periódicas no dentista durante a infância, desde o nascimento do primeiro dente.
Hábitos como chupar o dedo, língua, chupeta, pode mais facilmente resolvido nesta idade com ortodontia interceptiva ou funcional.

Quais os demais objetivos da Ortodontia Interceptativa?

É importante lembrar que este tratamento é indicado para crianças, pois o principal objetivo é justamente estimular o desenvolvimento correto da arcada dentária.
Mas existem várias outras razões para dar importância a este tratamento, veja algumas abaixo:

  • Coordenar a posição e o tamanho dos ossos da mandíbula;
  • Estimular ou retardar a direção de crescimento dos dentes;
  • Equilibrar a força e a eficácia da mastigação;
  • Melhorar a estética facial;
  • Melhorar a saúde da articulação mandibular;
  • Proteger os dentes do desgaste anormal futuro;
  • Proteger os dentes de problemas como: sistema de suporte dos dentes, ossos e gengivas;
  • Melhorar a saúde dentária no que se refere a higiene bucal;
  • Proteger as crianças de traumas durante as atividades diárias normais como mastigar.

Mais da metade dos casos de maloclusão tem como principal causa a deficiência de crescimento da maxila e da mandíbula (ossos onde estão os dentes ) e precisam ser tratados antes ou durante o crescimento, entre 6 e 12 anos (-um pouco menos nas meninas).
Nesta fase, aproveita-se o potencial de crescimento geral para estimular o crescimento da maxila e da mandíbula, evitando danos futuros.
Vale ressaltar que a partir dos três anos de idade já é possível iniciar o tratamento nos casos de mordida cruzada, evitando assimetria facial no adulto.